» » » Fantástico denuncia corrupção em condomínios

Fantástico denuncia corrupção em condomínios

postado em: Novidades | 0

fantastico_logo

 

Neste domingo (12), o Fantástico (Programa da TV Globo) trouxe para a mídia um assunto triste que faz parte do mercado de condomínios. Infelizmente, não é raro encontrar casos de comissões, superfaturamento, recibos e notas ficais frias entre fornecedores e síndicos que trabalham neste setor. Tais práticas são ilegais e inadmissíveis.

O papel do síndico é administrar com idoneidade em prol do melhor para o condomínio, no entanto, síndicos desqualificados vêm tirando proveito de sua posição em benefício próprio e prejudicando todos os moradores.

Saiba que em casos como estes, o síndico pode ser retirado do cargo mediante um processo de destituição feito pelos moradores composto por um abaixo-assinado subscrito por um quarto dos moradores e uma votação de maioria simples dos presentes em assembleia. Se os problemas administrativos não forem esclarecidos, os síndicos podem (e devem) ser intimados a prestar contas judicialmente.

A Sindprol tem uma posição de indignação diante dessas práticas e reforça que prioriza a transparência em seu trabalho e o respeito à confiança que os moradores depositam em nós.

Aqui ficam nossas dicas para todos os moradores evitarem casos de corrupção em seus condomínios:

  • Os gastos incomuns, fora da previsão usual, devem ser aprovados pelos moradores em assembleia;
  • Compras e contratações devem ser realizadas apenas após três orçamentos. Os contratos devem ser assinados pelo síndico e ao menos um conselheiro, e as notas ficais devem ser arquivadas.
  • As contas, caixa, balancetes e contratos devem estar a disposição dos moradores a qualquer momento. A Sindprol, disponibiliza essa documentação para os condôminos em tempo real.

Embora seja uma situação triste, a Sindprol fica feliz que o Fantástico tenha trazido este assunto à tona, assim colabora para a regularização da profissão que é de suma importância para todos os moradores em condomínios.

 

Veja a matéria na íntegra:

http://goo.gl/k07hNW

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page